TV SHOW | THE QUEEN'S GAMBIT

06/12/2020

A série sensação dos últimos tempos é sem sombra de dúvidas esta. Depois de ouvir todo o falatório em volta dela tinha mesmo que a ver. E posso-vos dizer que é uma série e tanto e que devem mesmo ver.

Baseada num livro com o mesmo nome do autor Walter Tevis de 1983, conta a história de Beth uma jovem que fica orfã e que no orfanato descobre o amor ao xadrez com o zelador de lá. Cedo se percebe que ela é um pequeno prodígio no jogo e quando começa a jogar em competições todos começam a perceber o grande potencial que ela tem. É a sua jornada de vida com os seus pais adoptivos, com o álcool e as drogas e claro com o seu passado familiar que a vai influenciar e com a qual ela vai ter que conviver e aprender a superar para que tenha finalmente sucesso neste jogo tão exigente. 

Como não li o livro não posso afirmar o quão esta série está fiel ao mesmo, mas daquilo que vi posso afirmar que esta é uma das minhas séries favoritas do ano. A forma como toda a história está contada e a forma como deram vida a esta génio do xadrez faz mesmo ter vontade de ficar agarrada ao ecrã a ver o que está a acontecer. Beth é daquelas personagens que enchem o ecrã, e é engraçado como isso acontece com qualquer uma das actrizes que dá via a Beth nas três fases etárias em que ela aparece. Mas é Anya Taylor-Joy que a interpreta na vida adulta que nos enche o coração a maior parte da série. É uma actriz muito delicada mas ao mesmo tempo muito expressiva. E só uma actriz assim tão versátil para interpretar uma personagem que passa por tudo, a perda dos pais, o medo da doença mental da mãe, o orfanato, os pais adoptivos, as drogas, o álcool, a fama e a glória, e o medo de perder isso tudo. E este é também um dos lado mais positivos da série, a abordagem que faz de temas tão importantes da nossa sociedade e que ainda assombram tantas pessoas que vivem este tipo de vida de muita pressão naquilo que fazem como também muita pressão dos media. 

A série ganha também para mim pela fotografia que é fantástica, pela cenografia que é lindíssima e pelo guarda-roupa que é só maravilhoso e que confere à série uma imagem de marca fantásticos. Tudo isto envolve ainda mais o espectador nesta série. E claro não podia deixar de falar do elenco fantástico que acompanha a protagonista e que tem caras tão conhecidas do publico como o Harry Melling (que entrou em Harry Potter) e Thomas Brodie-Sangster (que entrou em Love Actually), actores que me acompanharam na adolescência e que é tão bom vê-los agora em grandes produções e a dar cartas no mundo da representação.

É uma série que tem todos os ingredientes para que vocês também se viciem e que também se apaixonem pela série e quem sabe se sintam compelidos a aprenderem esta arte que é o xadrez. 

Join the conversation!

© Diário da Chris. Design by FCD.