CINEMA | ONWARD

04/04/2020

Nunca pensei ver este filme tão cedo, uma vez que ele estreou à pouco tempo. Mas esta pandemia fez com que a Disney o disponibilizasse na sua nova plataforma o que significa que mais pessoas puderam ter acesso a ele. E eu fiquei muito feliz porque eu estava muito curiosa com o filme e posso-vos dizer que gostei bastante.

"Os elfos Ian e Barley, irmãos e adolescentes, vivem numa zona suburbana de um mundo de fantasia. Na esperança de poderem passar algum tempo com o pai que já morreu, embarcam numa extraordinária viagem para descobrirem se ainda existem alguns vestígios de magia."

No mundo deste filme o mundo já foi efectivamente povoado por magia. As criaturas mágicas um dia já puderam livremente usar os seus poderes e viveram de forma livre. Mas o mundo evoluiu e as novas tecnologias fizeram com que as criaturas mágicas se desleixassem e deixassem de usar a magia. No 16.º aniversário do Ian a mãe dele e do Barley oferece-lhes um presente que o seu pai, que já morreu, lhes deixou, que é nada mais nada menos do que através da magia fazer renasce-lo por apenas um dia. Só que a inexperiência deles faz com que o Ian apenas consiga trazer de volta metade do pai, mais concretamente as suas pernas. Aí eles partem em busca da solução que os fará acabar de trazer o seu pai e poder viver um pouco do dia com ele.

Eu gostei muito deste filme. Acho que mais até do que imaginava e eu não sei muito bem porquê. Quando vi a tradução do nome do filme para português como "Bora lá" comecei a imaginar que o filme seria demasiado infantil e que não seria lá muito engraçado. Mas o filme é bem mais do que aquilo que eu imaginava. Primeiro porque é criativo e trás metáforas bem inteligentes. Não seremos nós humanos um pouco semelhantes com as criaturas mágicas do filme, que antes éramos pessoas bem mais livres e criativas e que com o avançar das tecnologias nos tornamos todos mais conformados e subservientes da era da tecnologia, Depois porque o filme trás toda uma aventura de irmãos que fará com que quem tem irmãos se identifique com aquela relação, com as aventuras e com os sentimentos partilhados. Gostei muito desse lado sentimental do filme de uma forma familiar, fazendo-o apenas com a relação de irmãos. Diria que o filme é infantil e direccionado para as crianças, mas acredito que muitos jovens se vão identificar com o filme. Para além de o mesmo ter um sentido de humor que me fez largar umas boas gargalhadas.

Uma das coisas que eu adorei no filme também foi a sua animação e escolha de cores. Todas as criaturas mágicas são realmente mágicas e reais, como os elfos, os dragões, os centauros ou os unicórnios. Mas a forma como conseguiram adaptá-los aos dias de hoje incorporando-os em profissões como polícias, ou donos de restaurantes foi muito giro de se ver. E como disse gostei também muito das cores do filme. Maioritariamente o filme passa-se durante a noite e o mesmo tem muito recurso à cor azul, para além de o filme não ser nada escuro e aborrecido de ser ver por se passar muito de noite, as cores dele são simplesmente fantásticas o que torna o filme ainda amais mágico.

Resumindo foi um filme que eu gostei muito, que com certeza hei-de voltar a rever e que só posso recomendar.


Join the conversation!

© Diário da Chris. Design by FCD.