BOOK | "APARTAMENTO PARTILHA-SE" DE BETH O'LEARY

28/04/2020

Sabem aquele livro que se vende pela sua capa? Este é um desses livros para mim. Gosto de livros contemporâneos, leves e divertidos, mas este para além de apelar pela sua história conquistou-me pela sua capa. 

A história de forma simples leva-nos a conhecer a Tiffy que saída de uma relação tóxica procura um quarto em Londres para poder ter a sua independência de volta. O facto curioso é que ela encontra um anúncio bem peculiar, mas bem ao jeito da sua carteira. Ela apenas teria de partilhar não só a casa mas também a cama com o Leon, um enfermeiro por turnos. Ela utilizaria o apartamento de noite e ele de dia. Nunca se poderiam cruzar e tudo correriam bem. Só que o amor tem destas coisas e a vida levou-os a conhecerem-se de uma forma diferente e que os levou a apaixonar-se.

Confesso que estava muito curiosa com este livro não só por que só ouvia falar maravilhas do mesmo, mas porque a capa portuguesa é linda e só me chamava a atenção. Este isolamento social estava a precisar de uma leitura mais leve e divertida e decidi pegar nele. E foi assim uma decisão acertada. Não consegui parar de ler, e só queria saber como é que esta história toda iria terminar. É um livro leve e divertido, mas é também um livro cheio de reviravoltas e temas muito pertinentes. A começar logo na relação abusiva que a Tiffy tem ao início do livro. É um tema actual e é abordado no livro de uma forma bem real e bem pertinente para quem lê. É um livro com inúmeras personagens secundárias muito importantes. Já não lia um livro há muito tempo onde as personagens secundárias tivessem um papel tão importante. Desde o senhor que vive na casa onde o Leon trabalha que tem uma história tão emocionante. Até ao irmão do Leon que vive um momento dramático, ou até os melhores amigos da Tiffy que são muito imporantes na história. É realmente um livro que apesar de ser um chic-lit consegue ser mais do que isso, e acho que é por isso que tantas pessoas o lêm e gostam. 

Só tive um pequeno problema com o livro. Quando o comecei a ler estranhei a forma como o mesmo estava escrito. A sua estrutura e o início das frases não é exactamente como estamos habituados a escrever e a falar. Ao início pensei que tivesse sido da tradução, mas depois fui ver o texto original e percebi que o original é assim, a editora é que optou pela tradução literal. Não é que não faça sentido é apenas diferente do que estou habituada e ao início fazia-me um pouco de confusão. Acredito que por vezes as editoras não devam fazer traduções literais, mas é a opção da editora. 

Foi realmente um livro surpreendente para mim e é realmente um livro que vos recomendo.

Join the conversation!

© Diário da Chris. Design by FCD.