CINEMA | OFFICIAL SECRETS

30/03/2020

Gosto muito da Keira Knightley e raramente me desiludo muito com algum papel dela. E este é mais um desses filmes. Não me arrebatou por completo, mas é um filme importante e que vale a pena ser visto.
"Baseado na história verdadeira da informadora britânica Katharine Gun que, antes da invasão do Iraque, em 2003, tornou público um memorando secreto da NSA expondo uma operação conjunta de espionagem ilegal dos EUA e Reino Unido a elementos do Conselho de Segurança da ONU. O memorando propunha chantagear os estados membros a votarem pela guerra."
 
Katharine Gun é uma trabalhadora dos serviços secretos Ingleses. Trabalha basicamente como espia das conversas telefónicas de todo o mundo sendo à época tradutora de mandarim. Um dia, num dia normal de trabalho, ela recebe um memorando que ela acha muito estranho que basicamente implicava que os EUA estavam a comprar votos a países mais pequenos com assento na ONU para que aprovassem a guerra no Iraque. Ela, acaba por fazer chegar esse memorando aos jornais, numa tentativa de que a guerra não acontecesse e, a partir daí o mundo caiu todo em cima dela. A guerra aconteceu na mesma, milhares de pessoas morreram, e o mundo nunca mais foi o mesmo. Ela viu o seu mundo dar uma volta de 180 graus e percebeu que o mundo é mesmo injusto.

"Eu não trabalho para o governo Inglês, eu trabalho para o povo inglês.", foi com certeza a frase que mais me marcou deste filme. Dito por alguém refém de um estado que contrata pessoas para espiar o mundo mas que à mínima coisa os deixa ao seu próprio governo, muitas vezes sem sequer poder ter qualquer apoio jurídico. A acção da Katharine foi nobre, foi altruísta, preferiu ir presa a que ninguém soubesse a razão por detrás de uma guerra injusta. E é engraçado como estas pequenas coisas não são conhecidas no mundo. Ainda bem que existem estes filmes que nos dão a conhecer pessoas e histórias inspiradoras de pessoas que acabam por ir contra o sistema arriscando a própria vida por um bem maior. 

O filme é simples e nada ostensivo, uma vez que tudo nele teve que ser tratado no maior secretismo de sempre. Mas aborda assuntos muito importantes, como os serviços secretos de um país ou como as pessoas se dedicam de corpo e alma a assegurar que o povo de um país esteja seguro e mesmo assim acontecerem sempre situações injustas e desumanas. A questão da guerra e da emigração são outros temas abordados e que de uma forma subtil nos fazem pensar neles e como as intrigas políticas existem, são poderosas e que nem sempre correm bem para o elo mais fraco. 

Gostei bastante do tom do filme, bem frio e sempre com uma aura de secretismo bem inglês. A Keira Knightley esteve fantástica dando precisamente aquilo que a personagem pedia. Não posso dizer se está igual à pessoa real que inspirou o filme, mas gostei daquilo que ela deu ao filme. No fundo é um filme importante de se ver e que infelizmente vai passar um pouco ao lado das massas, mas que eu recomendo.

Join the conversation!

© Diário da Chris. Design by FCD.