CINEMA | THE IRISHMAN

04/02/2020

Quando este filme saiu e meio mundo estava a falar dele eu fiquei curiosa. Não sou a maior amante deste género cinematográfico e se fosse por este filme eu também não iria ficar fã. Mas é com certeza um filme cheio de mérito que também chegou aos Oscars e por isso hoje também está por aqui.

"Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci encabeçam o elenco do filme "O Irlandês", a saga épica de Martin Scorsese sobre o crime organizado nos Estados Unidos do pós-guerra. Contada através da personagem de Frank Sheeran, combatente da Segunda Guerra Mundial e convertido em assassino a soldo da Máfia, a história abrange várias décadas e relata um dos maiores mistérios por resolver nos Estados Unidos: o desaparecimento do dirigente sindicalista Jimmy Hoffa. "O Irlandês" leva-nos numa viagem através do crime organizado, com os seus meandros, rivalidades e ligações à esfera política."

No filme acompanhamos um pouco da história da máfia norte-americana na perspectiva de Frank Sheeran que nos vai contando a sua história em retrospectiva. Frank camionista é contratado para começar a fazer umas entregas um pouco ilícitas e aos poucos vai começando a entrar no mundo da máfia. Começa a dar-se com altos dirigentes da mesma e acaba por criar laços importantes e onde começa a crescer dentro de uma organização muito delicada. Frank acaba por ser contratado para ser uma espécie de faz tudo mas principalmente ele é contratado para ser um assassino, o que o leva a cometer algumas coisas menos ortodoxas o que nos faz sempre questionar o seu carácter apesar de ser uma personagem empática.

Eu tenho que confessar que não sou a maior conhecedora de filmes da máfia e daí também dizer que não sou a maior fã. Quero ainda ver mais filmes da área e ver os que muitos consideram os clássicos do género. O filme tem 3 horas de duração o que para mim acabou por ser um pouco exaustivo. Da primeira vez que o comecei a ver confesso que adormeci. Mas da segunda vez que peguei nele vi todo de uma assentada, mas tenho que vos confessar que só na parte final do filme é que eu fiquei mesmo agarrada a ele. Devido à sua longa duração o filme é bastante lento e demorado com cada cena, com cada expressão, com cada transição o que tona o filme mais claro mas também mais cansativo de ver. Apesar de o achar cansativo gostei que o filme se demorasse com cada cena e que deixasse o espectador saborear e entender cada cena. Nem sempre temos esta oportunidade de ter mais calma no cinema e isso também é de louvar. Gostava era que o tivessem sabido fazer sem ter de prolongar o filme para o tamanho extensivo que tem.

Acima de tudo neste filme tenho que enaltecer o trabalho do elenco que para mim é com certeza o melhor do filme. Desde os actores mais conhecidos que estiveram fantásticos até ao elenco menos conhecido que fez com que enquanto estávamos a ver o filme nos sentíssemos transportados para o ambiente dos anos 70 e todo aquele glamour do mundo da máfia. Gostei das expressões, dos tempos, da forma sublime com que todos interpretaram o seu papel sem que nunca parecesse forçado. Sem deixar de falar da tecnologia que foi usada para rejuvenescer as personagens que na minha perspectiva esteve bastante bem.

No fundo, e apesar de não ter adorado o filme, é definitivamente um filme que recomendo.

Join the conversation!

© Diário da Chris. Design by FCD.