CINEMA | THE EDGE OF DEMOCRACY

31/01/2020

Desde que este documentário saiu na Netflix que eu fiquei com muita curiosidade para o ver. Está nomeado este ano aos Oscars na categoria de melhor documentário e por isso ele não me podia escapar.
"Documentário sobre o processo de impeachment da ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff, que foi considerado como um dos reflexos da polarização política e da ascensão da extrema-direita para o poder. O filme conta com imagens internas e exclusivas dos bastidores do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e do Palácio da Alvorada, enquanto decorria a votação para a queda de Dilma."
Sou uma apaixonada por política e pela importância que tem num país. Se calhar tenho a sorte de ter vindo viver para um país com uma democracia sólida desde o 25 de Abril e que me permitiu crescer com um pensamento livre e com consciência para essas questões que outras pessoas que nasceram noutros países não tiveram. A realizadora e narradora deste documentário é filha de um casal que viveu num Brasil em ditadura militar, que viveram na clandestinidade para poderem lutar por um país democrático e que viu o seu país eleger um metalúrgico quase sem formação, mas que também o soube depor quando já não era de uso do poder político e que conseguiram no seu extremo levar a direita extremista do país ao poder. 

Quando as primeiras notícias de corrupção e do processo lava jato começaram a surgir todos os os olhares do mundo e deste país irmão se focaram no Brasil. Era estranho como pessoas que nasceram do nada e que lutaram  na clandestinidade por um Brasil melhor estivessem agora a ser acusadas de corrupção e de levarem o país a uma situação limite. Mas foi isso mesmo que aconteceu com a queda da Dilma e com a condenação do Lula da Silva. De repente as pessoas em que o povo mais confiava eram aquelas que mais mal lhes tinham feito. Petra Costa é filha de dois activistas que lutaram para que o Brasil deixasse de ser uma ditadura militar e para que ela pudesse viver num país mais livre. A família dela nem toda apoia esse lado uma vez que os pais da mãe dela são de direita e ajudaram a que muitos dos políticos que hoje estão no poder hoje estivessem lá. Ela não tem pudores em contar a sua história desde tempos longínquos, à luta dos seus pais na clandestinidade e claro do panorama actual, desde a eleição de Lula da Silva até à destituição de Dilma e a eleição de Jair Bolsonaro.
O documentário, apesar de falar e mostrar todos os lados da questão, acaba por ser um pouco parcial, também porque o lado da direita acabou por não querer falar para o documentário. À excepção de um pequeno vídeo que Bolsonaro aceitou fazer e em que mostra aquilo a que estamos habituados. Neste documentário vamos acompanhar Lula e Dilma nos seus dias mais negros e até o momento de detenção de Lula. A divisão social que todo este processo fez à população brasileira. Divisão essa que acho sempre legítima a um povo a quem são sempre negados os princípios básicos de informação e educação. Custa-me ver como algumas coisas são conduzidas a nível judicial no Brasil e custa-me também ver como um líder tão opressor e de direita conseguiu ser eleito. Mas espero que este documentário consiga chegar a mais pessoas e que muitas comecem a olhar para o seu próprio país e a perceber que somos todos um pouco iguais e que muitas coisas precisam mesmo de mudar.

Join the conversation!

© Diário da Chris. Design by FCD.