OSCARS 2018 | A GRANDE CERIMÓNIA

Depois de toda uma maratona dedicada aos filmes nomeados aos oscars chegou finalmente a grande cerimónia. Não a pude ver ao vivo, porque aqui a pessoa trabalha durante o dia, mas este ano ao contrário do ano passado eu não resisti e vi logo de manhã quem tinham sido os vencedores. Surpresas à parte passei a segunda ansiosa por chegar a casa e poder ver a gala. Este ano achei fraquinha, sem grandes momentos ou surpresas. Sem grande humor ou artifícios. Esperava mais, principalmente de um apresentador repetente e numa altura em que se esperava mais da academia, porque o cinema não podem ser só polémicas. O cinema é maior e tem de ser celebrado. Mas vamos então aos maiores destaques da noite.



O meu primeiro destaque sobre a noite vai para o cenário da gala. Muito luxuoso cheio de brilho e diamantes, efeitos luminosos e espaços a imitar grande salas, foi sem sombra dúvidas uma das coisas que eu mais gostei da noite e aquilo que adicionou glamour a toda uma apresentação. Também neste primeiro destaque tenho que falar da apresentação da noite que esteve a cabo novamente de Jimmy Kimmel, uma escolha segura da academia numa época em que os holofotes estão virados para lá, com grandes críticas à forma como a mulher é tratada ou a multiculturalidade estava à espera de uma escolha diferente, mas como disse foi uma escolha segura. Não foi comediante demais, nem espalhafatoso. Ficou-se por algumas críticas mas nada demais, o que resultou numa gala bem simples e esquecível.

Os Oscars são conhecidos pelas suas brincadeiras e este ano apesar de poucas elas também existiram. Uma delas foi a brincadeira de que todos criticam os oscars pela demora da cerimónia, muito por culpa dos discursos dos vencedores. Por isso o apresentador decidiu presentear na gala uma mota de água ao vencedor com o discurso mais curto. Uma brincadeira sem grande piada mas que ajudou a aligeirar a noite. 

Este ano a brincadeira com o público anónimo ficou-se por uma visita de alguns dos famosos a um cinema ao lado do Dolby Theater onde estava a passar uma sessão inédita do novo filme "A Wrinkle in Time" e onde as pessoas foram surpreendidas com eles e com doces e cachorros quentes. Confesso que para mim este momento não teve tanta piada como o ano passado e foi só um momento de encher chouriços.

Um momento que para mim teve muita piada foi o uso do filme "Get Out" e de uma das partes com mais piada do filme durante os Oscars. Foi mesmo giro e com imenso sentido. Aqui estiveram bem.

O melhor momento musical da noite para mim esteve a cargo da interpretação da canção "Remember Me" do filme Coco. Tudo foi mágico neste momento desde a interpretação da canção até ao cenário e envolvência com o público.

A cerimónia foi marcada por momentos sérios e onde o cinema esteve em evidência. Em momentos pontuais os movimentos em defesa da mulher e até o caso da expulsão da academia polémica foram mencionados, mas incrivelmente sempre de uma forma positiva. Um dos momentos mais hilariantes da noite ficou a cabo da Maya Rudolph e da Tiffaany Haddish que não só brincaram ali um pouco com a questão dos negros mas com tudo, foi sem dúvida um dos momentos mais giros da noite.

A questão do assédio sexual contra as mulheres até pode ser a polémica do dia e aquilo que está a fazer com que a chamada de atenção para as mulheres esteja a ser feita. As mulheres têm que ser enaltecidas tal como os homens quando ambos fazem um bom trabalho. Que as mulheres têm de realizar mais, actuar mais, ter mais acessos que ainda estão vedados por alguns homens concordo. Mas quando as pessoas que querem enaltecer as mulheres descriminam os homens para mim deixam de ser feministas ou humanistas. E para mim não ficou bem a menção da Emma Stone aos quatro homens nomeados e à Greta Gerwig, porque se todos estavam nomeados é porque todos mereciam independentemente de serem homens ou mulheres. Pelo menos esta é a minha opinião.

Tenho que ressalvar aqui ainda o discurso de Frances McDormand ao ganhar o oscar de melhor actriz principal. Foi um discurso inspirador e bastante assertivo sem afectar ninguém. O problema foi que acho que ninguém percebeu se ela estava bem ou um pouco louca. Não a conheço muito bem, mas por momentos até eu duvidei da sanidade mental dela. Mas foi merecido o Oscar e acho que ela ficou feliz.

Por último tenho que mencionar o tão famoso erro do ano passado e que este ano foi relembrado inúmeras vezes ao longo da gala. Os apresentadores da grande categoria foram os mesmos do ano passado e podem sentir o medo que todos sentiram quando o momento se aproximou.

Os representantes de Star Wars já a meio da gala estava com imenso medo. Foi um momento muito divertido.

E depois claro tivemos o grande vencedor da noite a fazer das suas e a confirmar se era mesmo o grande vencedor. É realmente um erro que nunca mais vai ser esquecido.

Como referi no início esta foi uma gala muito normal e previsível. Não existiram momentos muito altos, ou a própria gala foi algo assim tão memorável. O que mais gostei foi sem sombra de dúvidas os pequenos momentos em que os 90 anos de Oscars foram relembrados através dos seus inúmeros filmes e relatos e até as actrizes que voltaram para apresentarem algumas categorias. Agora só nos resta aguardar mais um ano e por mais uma gala dos Oscars.


Sem comentários