CINEMA | THE ROOM, THE DISASTER ARTIST

O filme "The Disaster Artist" está nomeado aos Oscars apenas na categoria de melhor argumento adaptado, não fosse ele baseado em factos reais. Mas para mim ele podia estar ali nomeado para pelo menos mais uma categoria, a de melhor actor principal. Com curiosidade de ver o filme que inspirou a criação deste vi também "The Room" e hoje falo-vos de ambos.


Johnny é um homem de sucesso e bastante rico que vive em São Francisco com a sua noiva a Lisa. Felizes vivem uma vida normal entre noites românticas e o protegido Denny. Um dia Lisa decide que já não quer mais casar com ele e começa a seduzir o seu melhor amigo e a partir daí as coisas nunca mais serão as mesmas. Quando me falaram deste filme disseram-me que ele era mau, e realmente ele é mesmo mauzinho. E nem é a sua realização ou edição, mas sim o seu roteiro e as suas interpretações. São tão más que até a mim me fizeram impressão. Mas tal como todos os filmes maus, não sei bem porquê, nunca começam bem, mas acabam por encontrar uma audiência fiel, que adora e que perdura a sua história por muitos anos. Com este filme aconteceu precisamente isso. No início o filme não foi bem aceite por ninguém, mas depois e até hoje, o filme é lembrado em sessões de culto e os actores adorados em festivais de cinema específicos. E agora claro é um filme fundamental de ver antes de ver o filme "The Disaster Artist".

Já "The Disaster Artist" conta-nos a história por detrás do filme "The Room". Basicamente Greg e Tommy conhecem-se num casting para uma peça de teatro onde ambos são rejeitados. Unidos na tristeza de não conseguirem vingar no mundo dos actores decidem ir viver para Hollywood onde a acção acontece, e as oportunidades não falham. Só que chegados lá percebem que as coisas não são fáceis também e decidem unir esforços e criarem o seu próprio filme. Tommy escreve o roteiro e dirige o filme, uma coisa em grande cheio de câmaras espectaculares e com recurso a efeitos especiais, mas cedo se percebe que Tommy não tem muito jeito para a coisa e que aquilo que se esperava ser um bom filme acaba por se tornar algo muito estranho. No meio disto tudo vemos uma longa amizade a se formar e amor à arte a transbordar por todos os lados. E este sim é um grande filme. Com uma produção muito boa o filme conseguiu arranjar actores muito semelhantes e James Franco lidera com uma interpretação fantástica e muito idêntica à do original. Acho que só lhe faltava os músculos estranhos e estava perfeito, porque até a voz é muito idêntica. E depois temos um filme muito bem pensado, mito bem escrito e dirigido sobre um filme estranho com pessoas estranhas que ainda o tornou mais estranho mas que incrivelmente neste formato resulta num filme muito divertido. Mas o mais engraçado e aquilo que me ressaltou a meio do filme é que este filme e o filme "The Room" é sobre o amor à arte de ser actor. Porque por mais mau que o filme fosse estava a dar trabalho a actores que normalmente mais nenhuma produção queria e por isso estava-lhes a dar uma oportunidade. Gostei muito deste filme e recomendo. 

E vocês? Já viram os filmes? O que acharam?


Sem comentários