CINEMA | PHANTOM THREAD

Este foi talvez dos filmes nomeados aos Oscars o que esteve em segredo dos deuses durante mais tempo. Foi o último dos nomeados a melhor filme que vi e nem por isso ficou mais favorito. Confesso que esperava mais e que acabou por me desiludir um pouco.
Passado nos anos 50, "Phantom Thread" narra a vida do estilista fictício Reynolds Woodcock, o principal nome do glamour londrino dos anos 50, responsável pelo guarda-roupa de membros da Família Real, estrelas de cinema, figuras da alta sociedade, debutantes e damas com o distinto estilo da Casa Woodcock.
O filme conta-nos a história de Reynolds Woodcock, um famoso estilista da alta sociedade inglesa que é um figura muito austera e rígida que vive uma vida muito metódica e normal no seu dia-a-dia como designer de moda. Tem o seu atelier famoso e salta de musa em musa para as suas linhas de roupa. No filme acabamos por conhecer uma musa a Alma que vai servir de inspiração para uma linha muito importante. Mas ele não está só, porque com ele tem a sua irmã, seu braço direito e basicamente aquela pessoa que se encarrega de que tudo corra dentro dos conformes. Mas com a chegada de Alma muita coisa vai mudar e a grande reviravolta ainda está por vir.

Como não sou a maior fã do mundo da moda não sabia se quer que o personagem principal do filme não existia. Esta foi inspirada por outros estilistas famosos à época e que foram grandes influenciadores da moda. E por isso aquilo que à primeira vista parecia ser um filme sobre factos reais e de pessoas reais acabou por ser apenas uma inspiração. E uma que eu achei bem credível. Temos então uma pessoa muito perfeccionista e bem alheada no seu mundo, um pouco como gosto de caracterizar todos os artistas. Com a ajuda da sua irmã sempre presente ele consegue manter o foco nas suas obrigações, mas quando ele sai e se desvia da sua rotina ele acaba por viver algumas aventuras, maiores quando conhece Alma. Aceitando ser a sua musa, ela cedo percebe que se não fizer nada por si rapidamente passará a ser uma outra qualquer e a ver o seu lugar reposto. E por isso ela vai lutar pelo amor que sente por Reynolds.

O filme é muito bem realizado, interpretado e acima de tudo com uma qualidade de guarda-roupa fenomenal. Mas para mim peca pelo seu argumento por vezes desconexo, sem sentido e acima de tudo sem um fio condutor que guiasse o espectador. Há momentos sem fim, e outros que não fazem qualquer sentido. Se a mensagem do filme foi apenas a de retratar os estilistas homens à época, como sendo almas solitárias que buscavam na mulher as suas musas e que viviam para a alta sociedade então acho que o objectivo foi cumprido. Agora quando tocam na questão do desenvolvimento do personagem principal em si eu acabei por não gostar muito.


Não posso não vos recomendar porque é também um filme lindíssimo, mas que acabaou por não me conquistar como um todo.

Sem comentários