CINEMA | THE FLORIDA PROJECT

Não fosse este filme estar nos Oscars com a nomeação do Willem Dafoe na categoria de melhor actor secundário e provavelmente este filme passaria ao lado da minha vida. Mas como estou a fazer a maratona dos filmes dos Oscars lá o vi e cá está hoje a minha opinião dele.
Orlando, Florida. Um paraíso soalheiro ao qual acorrem anualmente milhões de turistas de todo o mundo. Um reino mágico que preside sobre incontáveis parques temáticos, jantares com espectáculos e estâncias de férias. Mas a escassos passos desta área de deslumbramento e felicidade, decorre uma história bem diferente. A história de uma precoce menina de 6 anos e do seu grupo de amigos numas férias de Verão cheias de assombro infantil, possibilidades e um sentimento de aventura, enquanto os adultos à sua volta lutam para sobreviver.
Estamos em Orlando e o filme decorre num complexo de motéis com temas dedicados ao universo mágico, não estivessem eles perto da Disney. Conhecemos no início deste filme dois amigos a Moonee e o Scooty, inseparáveis nas suas intermináveis brincadeiras dentro de um complexo habitacional, onde não há nada para uma criança fazer. Entregues a si próprios, rapidamente percebemos que as mães de ambos são demasiado jovens e com demasiados problemas. A falta de dinheiro, o gosto por festas e homens impera e acabam por ter que sobreviver das piores formas e sujeitar as crianças a determinadas coisas em prol disso mesmo, a sobrevivência. O filme relata assim o dia-a-dia destas famílias e destes motéis, que abrigam pessoas para além do tempo normal, e que acabam por testemunhar situações muito complicadas.

E eu confesso que ainda hoje não percebo bem a nomeação do Willem Dafoe, quando o filme é inteiramente das crianças protagonistas, ou da relação entre a mãe da Moonee e ela. O filme ganha muito pela interpretação livre das crianças e pela forma como despretensiosamente todos contribuíram para fazer de um filme que aborda temas tão pesados, algo interessante ao espectador. Mais do que ver a pobreza, a falta de educação, a falta de trabalho, a prostituição, vemos pessoas que acabaram por escolher o caminho mais fácil para combater uma situação. Não adorei sempre a linha narrativa do filme, ou a forma como o mesmo foi conduzido, mas tenho a ressalvar os cenários do filme que convidam mesmo ao ambiente de magia e de parques temáticos da zona, as cores do filme que lhe dá um contraste muito bom em contrapartida com as temáticas mais pesadas, e sem sombra de dúvidas das interpretações das crianças e da Bria Vinaite, que está sem sombra de dúvidas muito convincente.
É um filme para reflectir e que acho que vale a pena ser visto, mas para mim peca pelo seu roteiro mal aproveitado.



Sem comentários