CINEMA | LADY BIRD

Lady Bird foi uma agradável surpresa para mim. Não tendo muitas expectativas o mesmo acabou por ser uma filme mais leve e profundo que chegou cá dentro. E hoje partilho com vocês a minha opinião.
Uma jovem tenta deixar a família e a pequena cidade onde vive para ir estudar numa universidade em Nova Iorque.
Christine é uma jovem no último ano do secundário. Ela mora no interior da América, numa cidade sem grandes perspectivas e num seio familiar, que apesar de transbordar amor, não transborda dinheiro. Ela intitula-se Lady Bird e sonha um dia em voar para fora do seu ninho e sonhar mais alto ao ir para Nova Iorque. Mas até lá, ela vai ter que passar por algumas vivências, como um último ano numa escola católica, algumas desilusões amorosos, e uma relação com a sua mãe muito difícil. E este apesar de ser um filme simples é um filme tão poderoso. Lady Bird é tal como nós já fomos uma alma sonhadora, que ao aprender a viver com o que tem sonha em ir mais além. No caminho vai viver paixões assolapadas, ter desilusões com o sexo oposto, descobrir novas amizades, e perceber quem realmente são os nossos amigos. E perceber que apesar de a relação com os nossos pais ser muito difícil nós gostamos muito deles.

Lady Bird tocou-me porque me identifiquei muito com a história da Christine. Eu também um dia quis voar, sair do ninho e chegar mais longe, mas o caminho até lá nem sempre foi o mais fácil, e quando lá cheguei nem sempre foi e é tudo aquilo com que sempre sonhei. E à medida que o filme se ia desenrolando ia-me identificando cada vez mais, e então naquela última cena foi impossível não me emocionar com a quantidade de sentimentos envolvidos. Este é um filme simples, mas que através das interpretações nos diz tanto e nos passa tanto. Saoirse Ronan tem uma actuação linear, mas brilhante ao nos demonstrar mesmo como é uma adolescente que é diferente, que tem opiniões vincadas e que persegue um sonho até ao fim, mas ao mesmo tempo que é frágil e que também necessita do colo de alguém. Laurie Metcalf interpreta a mãe da Lady Bird, numa interpretação brilhante. De facto ser mãe, com dificuldades financeiras e sem saber se poderia proporcionar um futuro à sua filha magoou-a e tornou-a mais fria e distante, ao não saber lidar com essa sua própria dor.

Lady Bird conta com uma realização fantástica, interpretações marcantes, diálogos inteligentes e uma trama que fica connosco. Ao mostrar-nos o dia-a-dia normal e rotineiro de alguém que queria ser mais, de alguém que só se está a conhecer a si mesmo, que tenta e tenta apesar de não acertar, e isso só nos aproxima das personagens e dos filmes. E este é um desses casos. Acima de tudo este filme mostra-nos que crescer não é fácil e que só errando é que vamos aprender. E eles mostra-nos isso de uma forma delicada, talvez até dura em certas partes, mas acima de tudo verdadeira e real.


E vocês? Já vira, o filme?
O que acharam?


3 comentários

  1. Não vi, mas tenho vontade de ver. Esta actriz e as personagens que faz intrigam-me.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Deve ser o único filme que me faz trocer o nariz

    ResponderEliminar