CINEMA | CALL ME BY YOUR NAME

Se há filme que anda nas bocas do mundo é este. E eu também andava muito curiosa para o ver. Cá em Portugal só irá estrear agora em Janeiro. Mas no mundo já saiu o ano passado e até já teve direito às suas primeiras nomeações nos Globos de Ouro. Eu cá também já o vi e hoje dou-vos a minha opinião.
 É o verão de 1983, no norte da Itália, e Elio Perlman (Timothée Chalamet), um precoce rapaz americano de 17 anos, passa os dias na villa do século XVII da sua família, a transcrever e a tocar música clássica, a ler e a fazer olhinhos à sua amiga Marzia (Esther Garrel). Um dia, chega Oliver (Armie Hammer), um encantador erudito americano que trabalha no seu doutoramento e ficará encarregado de ajudar o pai de Elio. Entre o esplendor ensolarado do cenário, Elio e Oliver descobrem a beleza embriagadora do desejo ao longo de um verão que alterará as suas vidas para sempre.
Neste filme conhecemos uma família muito descontraída que passa o seu verão no Norte de Itália e que todos os verões acaba por convidar um aluno do patriarca da família para o ajudar. Neste verão para surpresa de Elio chega o Oliver um homem muito bem apessoado e que o vai fazer viver a sua primeira paixão. A princípio ambos não sabiam muito bem como lidar com a situação, Elio por ser novo e inexperiente, Oliver por ser mais velho e por não poder viver abertamente esta paixão. Juntos vão crescer numa história que é mais poderosa do que à partida nos pode parecer.

E eu gostei muito deste filme. É bonito, poderoso, amoroso, divertido, cheio de surpresas que vão tornar esta história ainda mais especial. Por um lado temos o Elio um jovem que ainda está a descobrir a sexualidade e o amor. Neste verão ele vai testar águas e vai tentar perceber por quem o seu coração bate mais, se pela amiga de infância ou pelo aluno que os visita no verão. Só que a atracção que existe entre os dois é tão grande que não vai passar despercebida. Já Oliver é um homem mais velho, enigmático, galã e playboy, vai ele também testar as suas águas e viver a sua maior aventura. Uma paixão proibida, por mais certa que possa parecer quando acaba, deixa sempre a sua marca e eles vão sentir muito isso. É um filme muito erótico e provocador, sem deixar de ser bonito e delicado. Trata-se de uma descoberta, ainda que de formas diferentes, e isso faz com que a linha do filme ainda se torne mais delicada e provocadora.

Deixar ainda uma ovação à aplicação da música neste filme por a personagem do Elio ser um estudante de música, tocar piano muito bem, e por ainda ser transcritor de musica clássica, o que o torna ainda mais interessante. 

A história do filme passa-se nos anos 80, uma época muito bonita, não só em termos de moda ou músicas, mas em estilo de narrativa e de realização e por isso este é um filme muito bonito, com uma fotografia fantástica, um tom maravilhoso, um filme que apaixona também pela sua qualidade técnica e por isso outro ponto positivo. É um filme que só posso recomendar e que já tem dado muito que falar.


E vocês? O que acharam do filme?

Sem comentários