CINEMA | THE FOUNDER

Filmes biográficos tem um cantinho especial nos meus gostos cinematográficos. Talvez por mostrarem a história de alguém que poderíamos ser nós e nos levar a sonhar com outras histórias de vida. Quando soube que ia sair um filme sobre um dos intervenientes da expansão da cadeia de restaurantes Mcdonalds fiquei logo curiosa. Afinal, este é um local onde costumo ir de vez em quando e que gosto. Sem saber nada desta história lá parti para o filme e fiquei surpreendida com o que lá encontrei.

Adaptação ao cinema da biografia de Ray Kroc, fundador da cadeia de comida rápida McDonald´s. Relata como um caixeiro-viajante do interior dos Estados Unidos comprou, em 1954, o franchise do restaurante de hambúrgueres dos pouco ambiciosos irmãos Mac e Dick McDonald. O sucesso e as inovações introduzidas por Kroc permitiram-lhe adquirir a empresa aos McDonald, em 1961, por 2,7 milhões de dólares.

Se forem como eu e não souberem nada da história do Mcdonalds poderão pensar que o dono da marca é alguém chamado McDonald’s. Mas estamos enganados. A McDonalds surgiu através dos irmãos Mac e Dick que criaram uma revolucionária forma de fazer hamburgers que lhes permitia fazê-los em pouco tempo e vendê-los muito baratos. Ray, um comerciante de porta em porta que vendia máquinas de fazer batidos interessou-se um dia por este restaurante pois o mesmo tinha acabado de fazer uma grande encomenda de máquinas de batidos. Quando chegou ao restaurante encantou-se e viu uma oportunidade de negócio. Basicamente ele ficaria encarregado de expandir o negócio e certificar-se de que esse mesmo negócio dava lucro. Quando ele percebeu que este negócio podia ser a galinha dos ovos de ouro não olhou para trás e não descansou enquanto não estivesse na posse da marca e a conseguisse trabalhar da forma como queria. Esta é acima de tudo a história de alguém que não pensava pequeno e que quando via algo e queria algo persistia até que esse mesmo algo fosse dele. Uma pessoa ambiciosa que não se importava de passar por cima de tudo e de todos para alcançar o seu objectivo. Passar inclusive por cima dos irmãos Mac e Dick que acabaram sem a sua marca, sem o seu restaurante e sem o seu sustento.

O filme em si está bastante bem produzido e dá-nos mesmo a ideia de como terá sido os inícios deste restaurante de fast-food. Foi do que mais gostei no filme,  da criação do que hoje damos por tão conhecido e do que na altura foi necessário para tornar este no restaurante de fast-food e não em mais um dos que existiam à época. Gostei também de ver toda a ambição de um homem que persistiu até conseguir chegar ao seu objectivo, não importava por cima de quem se passasse, não interessando deixar a mulher para trás ou arruinar vidas. Não é fácil entender pessoas com este tipo de ambição porque acabam por passar a imagem de pessoas frias e calculistas, que o são na verdade, mas que também pessoas com visão de futuro e que conseguiram tornar o pequeno em muito grande. Agora se me perguntarem se vale a pena estragar vidas pelas nossas ambições, eu direi que nem sempre vale a pena. E neste caso assistimos a uma retirada de poder aos criadores originais do restaurante que no fim acabaram sem receber nada porque não conseguiram acompanhar a evolução do Ray. 



No entanto e apesar de toda esta importância temática não posso dizer que é um filme fantástico pois acaba por se demorar em certos aspectos e por passar a correr outros que eram mais importantes. Há personagens que não são exploradas e o filme peca por ter falta em muitos momentos. Ressalvo aqui a interpretação de Michael Keaton que tem um trabalho exímio ao interpretar um empresário voraz.


Sem comentários :

Enviar um comentário