BOOK | 'PERGUNTEM A SARAH GROSS' DE JOÃO PINTO COELHO


Ter um autor português a falar num livro sobre a 2ª Guerra Mundial é algo quase inédito e por isso quando pude ter este livro não hesitei em o ler. Foi com alguma desilusão que vi o autor com uma ideia fantástica tê-la desperdiçado um pouco na exploração de uma parte da história não tão interessante. Mas vamos saber o que achei do livro.

Em 1968, Kimberly Parker uma professora de literatura atravessa os Estados Unidos para ir dar aulas num colégio elitista de Nova Inglaterra, dirigida por uma mulher carismática e misteriosa Sarah Gross. Ambas escondem segredos e razões para serem como são e para tomarem as decisões que tomam. Mas que segredos serão esses? E é aí que o livro se divide em duas partes a do actual em 1968 da Kimberly e a da 2ª Guerra Mundial na Polónia. 

Comecei a ler esta história muito lentamente e confesso que a estava a achar muito normal. A primeira parte é muito da história da Kimberly, da sua chegada à escola e da forma como o seu passado pode ou não interferir nos segredos que ela vai descobrir na misteriosa escola. Mas chegados aí a meio do livro vamos então conhecer a história da família da directora da escola da Sarah Gross na Polónia na altura da construção do campo de concentração de Auschwitz, e essa parte foi tão mas tão interessante que eu só desejava que a história fosse toda sobre a Polónia e a família da Sarah. Porque acreditem a forma como o autor escreveu esta segunda história paralela que se vai entrelaçar na primeira é tão, mas tão fantástica que eu só queria ver o autor a desenvolvê-la. Nesta segunda parte vemos uma Polónia muito interessante e vemos a família de Sarah com alguma importância na cidade e quando os alemães lá chegam e decidem construir Auschwitz, vemos um povo a quebrar-se, a desmoronar, a entristecer e a perder a sua identidade. Foi realmente uma pena o autor não ter enveredado apenas por uma das vertentes da história.

A escrita do autor é fluída e interessante e apesar de eu não ter adorado a primeira parte da história vou gostar de ler mais alguma coisa deste autor.



Sem comentários :

Enviar um comentário