Com tecnologia do Blogger.

CINEMA | THE RED TURTLE, THE LOBSTER

As opiniões que vos trago hoje estão nomeadas aos Oscars nas categorias de melhor filme de animação com o filme The Red Turtle e melhor argumento original com o The Lobster. Filmes menos falados mas que valem muito a pena serem vistos.

The Red Turtle
Quando parti para a visualização deste filme não sabia nada sobre ele e fiquei logo entusiasmada quando percebi no início que este era um filme em colaboarção com os Estúdios Ghibli. The Red Turtle conta-nos a história de um homem que vai parar a uma ilha deserta, e que tem que aprender a sobreviver ali, visto que de cada vez que tenta abandonar a ilha há algo que o impede. É aí que aparece na costa um tartaruga vermelha que ele percebe ser a causa de não conseguir sair da ilha e tenta matá-la. A tartaruga acaba por se transformar numa linda mulher pela qual ele se apaixona. O filme é assim um misto de realidade com uma certa fantasia que apesar de não ter falas acaba por nos tocar. Todo este filme acaba por ser uma aventura de auto-conhecimento e de crescimento. O filme ganha pela sua imagem e pela sua banda sonora que ao serem simples acabam por cativar. Acabei no entanto por não adorar por achar que faltou ali algo. Não sei se foi a falta de falas, ou a falta de algumas explicações, se bem que um certo mistério aguça também a nossa curiosidade. Também a falta de algo avassalador a acontecer no filme fez com que eu não me entusiasmasse ao vê-lo, ao ser tão simples tornou-o por vezes aborrecido. É no entanto um bom filme de animação que eu recomendo.



The Lobster
Imaginem um mundo onde só pudessem viver se estivessem casados. Pois é, este mundo é assim. David acaba de se divorciar, e quando isso acontece ele é enviado para um hotel onde tem 45 dias para encontrar um novo amor e provar que consegue viver com ela para poder regressar à cidade. Lá eles vivem um curso intensivo de como estar solteiro é mau e ter um companheiro é que é bom. E para chegarem ao fim dos 45 dias eles vão ter que passar por algumas provas. A maior consequência está para aqueles que não conseguirem chegar ao fim dos 45 dias com um companheiro, porque aí terão quer ser transformados em animais. Este é, pelo que puderam ver, um filme muito estranho, mas muito interessante ao mesmo tempo. Podemos pensar nele como uma espécie de distopia estranha. E ao mesmo tempo que é tão estranho é tão bom. As interpretações são fantásticas, contamos neste filme com o Colin Farrell, John C. Reilly, Léa Seydoux, Rachel Weisz entre outros, que dão corpo e alma a estas pessoas tristes que vivem vidas tão estranhas, na eminência de virem a tornar-se animais, e isso é algo muito assustador. Mas o filme é mais complexo e apresenta-nos toda uma sociedade muito bem construída em volta deste mundo. É um filme que vale muito a pena ver, e o qual vos aconselho a ver sem grandes preconceitos e de mentalidade aberta. Um filme diferente que recomendo.




Sem comentários