CINEMA | THE JUNGLE BOOK


 Na minha infância não tinha visto o filme “O Livro da Selva” na sua adaptação da Disney. E por isso quando a Disney decidiu fazer a grande adaptação em live action eu tinha que ver. E digo-vos fiquei mesmo fã. Adorei a história, a edição, a forma como a história nos toca. Um filme que recomendo muito.

Mogli, um rapaz criado na selva por uma família de lobos descobre que já não é bem-vindo na selva quando Shere Khan, um assustador tigre que carrega cicatrizes feitas pelo Homem, promete eliminar tudo o que lhe pareça uma ameaça. Convidado a abandonar a única casa que conheceu, Mogli embarca numa viagem de auto-descoberta, guiado por Bagheera, a pantera que se torna no seu mentor, e pelo urso Balu.

Esta é a história simples de um menino que acaba perdido no meio da floresta e que é entregue à alcateia dos lobos para ser criado. No processo ele acaba por criar laços afectivos com todos os animais da floresta e em especial com os lobos. É quando todos são ameaçados pelo tigre que Mogli decide abandonar a alcateia e fugir para não causar mais estragos. É aí que ele vai encontrar mais animais, vai-se meter em mais aventuras e finalmente encontrar o seu cantinho no mundo. E eu adorei tanto esta história. Tem aventura, tem comédia, tem amor. Não é simplesmente uma história de animais, é uma história que transcende o mundo animal e eu gostei tanto disso. Consegui relacionar-me muito com a história e gostar de todos os pormenores da mesma.

Primeiro temos que falar desta adaptação em live action que está simplesmente espectacular. O rapaz que interpretou o Mogli teve que o fazer em todo o filme apenas com uma tela verde, o que lhe dificultou a vida, mas que não o fez ter uma interpretação menos espectacular. Vemos um miúdo curioso, muito divertido e que abraçou a 100 % a vida na selva. Depois tenho que comentar a parte dos efeitos visuais que está maravilhosa. Todos os animais estão presentes no filme através de manipulação de computador e digo-vos são poucas as vezes em que nós como espectadores o percebemos, de tão bem feito que está. Efeitos muito reais  que realmente impressionam. 

Eu gostei muito deste filme e fiquei muito curiosa para agora ir ler o livro que lhe deu origem, com o mesmo nome do autor Rudyard Kipling e claro a primeira adaptação do filme para animação.Mas este é com certeza um filme que recomendo muito.



1 comentário :

  1. Não me lembro da versão da Disney, mas estou curiosa para ver esta versão :)

    ResponderEliminar