CINEMA | HELL OR HIGH WATER


Este era talvez dos filmes nomeados aos Oscars de melhor filme que menos curiosidade tinha para ver. Ah, mas como eu gosto de ser surpreendida. Este é um filme muito bom, que me conseguiu surpreender mesmo e que só vos posso recomendar.




Toby (Chris Pine) e Tanner (Ben Foster) são dois irmãos do Texas que se reencontram após uma separação de vários anos durante a qual se dedicaram a assaltar agências do banco que ameaça executar a hipoteca sobre as terras da família. Para eles, os assaltos fazem apenas parte de um esquema desesperado para recuperarem um futuro que parecia perdido.




Estamos no Texas e somos confrontados com dois irmãos a assaltar uma quantidade de bancos, de uma determinada cadeia de bancos e com um determinado objectivo. Somos confrontados com uma América interior, decadente, isolada, pobre, onde a ilusão de um sonho americano não os consegue enganar. E este é o mote para este brilhante filme. Como disse não estava muito curiosa com o filme, porque não gosto de filmes do Texas, por abordarem normalmente temas que não me despertam qualquer tipo de curiosidade. E se não fosse este estar nomeado aos Oscars eu provavelmente não o iria ver, apesar de ouvir muito boas críticas à volta dele. 

O filme começa de um forma violenta e com a história destes dois irmãos, marcadamente texanos. São marcados pela cultura deles e são interpretados por Chris Pine e Ben Foster de uma forma brilhante. O filme não teria tido impacto nenhum em mim se o mesmo não nos contasse a história destes dois protagonistas. Quando as razões para aquilo tudo estar a acontecer nos são reveladas, quando vemos na prática, aquilo que o sistema bancário americano faz com as pessoas, começamos a nutrir pela história algum tipo de ligação, e apesar de o filme não ter uma história muito profunda consegue agarrar o espectador ao ecrã, porque queremos saber como o mesmo termina e qual será o desfecho para aqueles protagonistas. Mas este é um filme caracterizado pelos pequenos pormenores, em contraste com a sua história base simples. Gostei ver a história paralela dos dois polícias destacados para resolver o caso, um homem à beira da reforma que não se quer conformar com esse desfecho e um índio que tenta se enraizar na cultura americana, mas que será sempre estigmatizado pela sua origem. 




No fundo, o que mais gostei neste filme foi a sua fotografia e a sua banda sonora. De repente somos catapultados para as paisagens infinitas do Texas, com os seus desertos a perder de vista e os campos sem ninguém que nos fazem perder completamente o fôlego. Para além de uma banda sonora marcadamente da zona e que nos embrenha completamente na história. Um filme que acredito que devem ver.
  
 

2 comentários

  1. Possivelmente o filme mais sobrevalorizado na corrida aos Óscares. No ano passado o burburinho à volta deste "Hell or High Water" era tão grande que combati a ligeira aversão ao género e lá o vi. Fiquei sem perceber o porquê de ser aclamado pela crítica. A história não oferece nada de novo e o plot é bastante simplório, tendo em conta a temática. As personagens não são suficientemente cativantes para criar uma ligação com o espectador, pelo menos comigo. Enfim!

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que o filme não é nada de extraordinário, mas confesso que gostei mais do que estava à espera, para um filme que é um pouco fora da minha zona de conforto..

      Eliminar