CINEMA | ME AND EARL AND THE DYING GIRL

O livro que deu origem a este filme foi um dos meus livros favoritos de 2015 e, por isso quando o filme saiu eu sabia que o tinha que ir ver porque a curiosidade de saber como o tinham adaptado era muita. Fico sempre com algum receio quando adaptam um livro favorito meu para o cinema, sempre com medo de que tenham feito alguma grande asneira. Mas neste muito pelo contrário, foi definitivamente um filme que adorei.

Greg está no último ano do secundário e tenta passar o mais despercebido possível, evitando grupos, enquanto faz filmes bizarros com o seu "melhor amigo" Earl. Mas tudo muda quando a mãe de Greg o obriga a travar amizade com Rachel que tem leucemia.

Como já dei a minha opinião sobre o livro que deu origem a este filme aqui no blog não me vou alongar muito aqui quanto à história, porque no geral filme e livro acabaram por ficar muito parecidos. Por isso se quiserem saber toda a história e a minha opinião sobre o livro visitem o post aqui.

Mas passando ao filme acho que posso dizer que adorei tudo nele, tanto que faz parte da minha lista de filmes favoritos de 2015 e, que mesmo não estando completamente igual ao livro as diferenças em nada anulam o sentido da história, tornando-o coerente quanto à história original. Este é daqueles filmes indie com uma vibe muito boa, uma edição cheia de pormenores que nos fazem ainda ficar mais atentos a esta história. A fotografia e a banda sonora são um grande complemento ao filme dando-lhe profundidade e marcando o espectador nos momentos mais importantes. Mas, o que eu mais gostei neste filme foi o casting tão maravilhosamente escolhido que nos faz mesmo vivenciar tudo aquilo e torcer para um final feliz. Todos os actores conseguiram transmitir aquilo que eu senti ao ler o livro e conseguiram-no de uma forma extraordinária, nunca deixando o melodrama e a tristeza invadirem a tela, fazendo-nos sempre rir e mostrando-nos sempre um lado bom da história. Este é aliás o factor diferencial desta história, nunca nos mostra a morte ou a doença como algo terrível ou super triste e, acima de tudo como o fim. E nesta história vemos mesmo que ela não é o fim de nada, aqui ela foi o começo de uma bonita amizade, o começo de uma carreira para o Greg e mais ainda, foi o começo de um auto-conhecimento que ele tanto procurava,

É no final um filme que nos ensina muito e que mesmo não sendo um filme triste é um filme muito emocionante. Uma história que recomendo muito.




2 comentários :

  1. Olá descobri agora mesmo o blog! Também já vi este filme e está na minha lista dos fav de 2015, achei excelente, ainda não li o livro mas como normalmente são melhores que os filmes acredito que seja muito bom.
    Beijinhos

    http://simplelifstyle.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recomendo muito o livro.. acho que neste caso há pessoas que vão gostar do filme e odiar o livro e vice versa.. mas mesmo assim recomendo muito o livro.. :D
      Beijinhos*

      Eliminar