CINEMA | THE MARTIAN

Filmes sobre espaço sempre me vão cativar e este por todo o seu trailer ainda me conquistou mais. E devo dizer-vos que o filme é muito bom. Nomeado para sete oscars (melhor filme, melhor actor principal, melhores efeitos visuais, melhor direcção artística, melhor mistura sonora, melhor edição de som e melhor argumento adaptado) é um forte candidato a vários deles.

Durante uma missão tripulada a Marte, o astronauta Mark Watney é dado como morto após uma tempestade e deixado para trás pela sua tripulação. Mas Watney sobreviveu e encontra-se preso e só num planeta hostil. Com escassos mantimentos, ele terá que contar com a sua criatividade, inteligência e espírito de sobrevivência para encontrar uma maneira de e enviar para a Terra um sinal de que está vivo. A milhões de quilómetros de distância, a NASA e uma equipa de cientistas internacionais trabalham incansavelmente para trazer Watney de volta, enquanto, simultaneamente os seus colegas de tripulação planeiam uma ousada - se não impossível - missão de resgate. Com a revelação destas histórias de incrível coragem, o mundo une-se por uma causa - o seguro regresso de Watney. 

Este é um filme com uma trama simples. Uma viagem a Marte, onde acontece uma tempestade e onde um dos tripulantes acaba por ficar para trás. Aí, sozinho, ele vai ter que sobreviver e tudo fazer para contactar a Terra para que eles saibam que está vivo. Parece simples, mas não é. Imaginem-se num planeta deserto, sozinhos, sem contacto com a Terra e a terem que sobreviver. E imaginem tornar esta simples premissa num filme espectacular que nos vai colar ao ecrã na busca pelo final feliz.

Como fã do Espaço este filme sabia que iria ter aqui uma fã e não se desiludiu. É um filme que aborda tanto que o espectador nem vai saber para onde olhar. Primeiro temos uma expedição a Marte pela NASA, feito que daqui a algum tempo poderá ser mesmo uma realidade, expedição esta que tinha como objectivo a exploração e a recolha de elementos do planeta para seu estudo. Só que nunca ninguém imaginou que alguém ficasse lá sozinho. Ele então é forçado a ser criativo e a valer-se das suas capacidades para criar comida, como plantar batatas, criar água, fontes de calor e acima de tudo uma forma de comunicação com a Terra. Sozinho ele recorre a música e séries de tv para se entreter e à gravação de tudo o que vê, vive e faz naquele planeta. Podem pensar que duas horas deste filme devem ser uma autêntica seca, mas enganem-se. De repente lá estão vocês agarrados ao filme, ávidos de saber qual vai ser a próxima aventura do Watney, qual o desfecho daquela experiência e acima de tudo se ele vai conseguir sair vivo daquele planeta. Por outro lado temos quem está na Terra chocados por terem deixado lá alguém e nervosos por conseguirem arranjar uma solução barata e viável de o irem lá buscar. Então temos um filme centrado em duas partes, Marte e o seu habitante e a Terra toda de olhos postos nele.

Para além de ter adorado a história gostei muito também de toda a diversidade do casting, desde a tripulação da expedição a Marte, como de toda a equipa da NASA. Cada um tinha o seu papel e todos se uniram para trazer Watney para casa, não estivesse todo o mundo de olhos postos nele. Gostei também de todos os cenários, da construção de Marte bastante realista e, de toda a mecânica e das naves e estações espaciais. Não é a primeira vez que se faz um filme sobre o Espaço e gosto de ver que nada é deixado ao acaso. E por último adorei a personagem do Watney e de toda a interpretação, tanto artística como física, do Matt Damon. Um forte candidato aos oscars de algumas categorias técnicas. 

É um filme super dinâmico, com uma trilha sonora muito boa e muito divertida e com uma história fantástica. Baseado também ele num livro, posso afirmar que filme e livro estão bastante parecidos, porque estou neste momento a ouvir o audiobook do livro. Um filme muito bom, dentro do seu género, bastante forte e divertido ao mesmo tempo, conseguindo passar uma mensagem bastante positiva. 




1 comentário

  1. Acho que Sean Bean foi perfeito no personagem, é um ator que as garotas amam por que é lindo, carismático e talentoso. Game of Thrones é um dos seus trabalhos mais recentes dele e ainda que não seja o melhor roteiro, visualmente nos limpa os olhos. Vi que Game of Thrones 7 vai estrear uma nova temporada e na verdade não a perderei, para uma tarde de lazer é uma boa opção.

    ResponderEliminar