BOOK | THE EDGE OF NEVER

Todos os dias somos influenciados a fazer alguma coisa, a experimentar uma comida, a visitar um lugar, a ler um livro. E todos os dias no Booktube acabo sempre por ser influenciada a ler algum livro. E com este livro foi isso que me aconteceu, fui influenciada a lê-lo por todo o hype que ele acabou por ter. Mas infelizmente apesar de tudo não acabei por adorar o livro como toda a gente.

Camryn é uma jovem de 20 anos que após a morte do namorado fica um bocado perdida. É na sua melhor amiga que ela encontra o seu maior apoio, mas é também dela que vai receber uma das maiores desilusões. Assim e cansada da vida que leva ela decide colocar a mochila às costas e fazer uma viagem de autocarro pela América. E é num desses autocarros que ela conhece o Andrew, um rapaz de 25 anos que vai a caminho de casa para visitar o seu pai que está a morrer. Durante a viagem eles vão começando a conhecer-se melhor e depois de algum tempo e de alguns acontecimentos decidem fazer a viagem juntos e sozinhos. 

Este livro pertence à categoria de livros New Adult. Esta categoria abrange a faixa etária dos 20 anos mais ou menos até aos 30. E a ideia deste género literário é entrar já um pouco na vida adulta, deixando para trás os dilemas da adolescência e enfrentando os dilemas de uma vida mas adulta. Nestes livros são abordados dilemas mais fulcrais para essas idades, misturando como sempre o romance. Mas não o romance ao de leve que os Young Adults nos mostram. Os New Adult têm já capacidade de abordar o romance de uma forma mais carnal, explorando o amor, o sexo e a paixão de uma forma mais crua e directa. E este foi o meu primeiro New Adult. Confesso que era uma categoria de livros que estava com alguma curiosidade para explorar, porque eu  própria me encaixo nessa faixa etária e, sendo os YA's um dos meus géneros favoritos, ler livros com uma pitada a mais era algo que me aliciava. Mas e apesar de tudo ainda andei um tempo sem saber porque livro começar, porque primeiro a oferta de livros apesar de já ser grande ainda não é muito grande e por isso acabava por ir adiando por não saber por qual começar. No entanto esta duologia teve uma óptima recepção no mundo literário e o boom à volta dela fez-me ter grande vontade de os ler. Unindo a vontade a um desafio da maratona Hot Summer Reading e foi a oportunidade ideal para o ler. Mas infelizmente acabei por não gostar tanto dele como estava à espera. 

Para mim o que mais falhou neste livro foi a forma como a autora conseguiu explorar a história e a forma como ela foi acontecendo. Isto porque por um lado temos a história da Camryn, por outro a história do Andrew e, por fim a história dos dois. No geral gostei dos backgrounds de cada personagem. A fragilidade da Camryn com uma história familiar cheia de instabilidade, o que culmina com a morte do seu amor num acidente, o que a transforma numa pessoa frágil, ferida e cansada de tudo aquilo que a rodeia. Depois temos o Andrew um rapaz que neste momento vê o seu pai a morrer vítima de uma doença. Cada um individualmente tem um passado forte que os define e domina a tomada de decisões e pontos de vista na vida. Gostei desta parte, contada individualmente por cada um, mostrada de uma forma real mostrando-nos as suas verdadeiras histórias. Mas o meu grande problema com este livro prendeu-se com duas coisas, a primeira a relação entre eles, e a segunda a road trip. A relação entre eles é uma relação inicialmente carnal, primeiro porque estamos num livro new adult e, porque ambos vivem marcados pelos acontecimentos da vida e que acabam por descarregar toda essa raiva na relação que acabam por estabelecer. No entanto a construção desta relação não foi credível e eu acabei por não gostar desta parte. Talvez por ter sido o meu primeiro new adult e por ainda não estar habituada a este estilo acabei mesmo por não gostar desta parte. E depois também não gostei da parte da road trip porque achei que a mesma simplesmente não foi explorada. Neste livro eles começam a viagem de autocarro e terminam a mesma de carro, só que a road trip é apenas e só isso a viagem que eles fazem e sinceramente queria mais, mais detalhes, mais pormenores. Sei claro que um livro já tão cheio de coisas esta parte pode ter escapado ou simplesmente ser informação a mais, mas acho que daria um complemento a mais.


No fundo eu gostei da história, dos backgrounds dos personagens e daquilo que foi acontecendo individualmente a cada um, mas não gostei muito da relação entre os dois protagonistas. Não detestei de todo mas também não ficou um favorito. 

Nome: The Edge of Never | AutorJ.A. Redmerski | Ano de publicação: 2012 
Páginas: 426 páginas | EditoraHarper 


4 comentários

  1. Por acaso também tenho uma vontade gigantesca de ler este livro, já desde o ano passado que ando a ponderar comprá-lo, no entanto até hoje nunca aconteceu. Infelizmente tenho acabado por dar prioridade a outros livros e deixo este passar, mas um dia vou mesmo lê-lo... talvez para o ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que não adorei o livro, mas para amantes de romance com uma pitada de algo mais é um bom livro..
      Beijinhos*

      Eliminar
  2. Sem querer parecer "dinossaura" mas ainda sou do tempo pré-YA - penso que nunca li nada do género e não me sinto particularmente atraida para, além de que tenho dificuldade em, á primeira vista destrinçar um YA de um romance, só pela capa. Não sei se estarei a perder muito ou não, mas....talvez seja uma lacuna a preencher, daqui por uns tempos.

    Livros com muito hype...tenho sempre o hábito de desconfiar. Normalmente, nunca gosto tanto quanto toda a gente diz que gostou. Penso que já vamos com muitas expectativas e depois boom explodem todas na cara.

    Gostaria de saber se por acaso também lês hist-fic, clássicos? É que não vi os videos todos, mas parece-me que não vi nenhuma capa de livro (no background) que me parecesse assim. Se me enganei peço desculpa.

    Maria Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há alguns YA que recomendo muito, não só pelo romance como também por algumas histórias de vida que são muito boas..
      Por acaso não sofro muito com o hype dos livros, normalmente também costumo gostar, claro salvo raras excepções.. :P
      Por acaso acho que nunca li nenhum livro que se enquadrasse nessa categoria, mas vou dar uma olhadela e talvez lhe dê uma oportunidade.
      Alguma sugestão?
      Beijinhos*

      Eliminar