HEALTH | PILATES

Nunca fui uma pessoa amante de desporto. Há algumas modalidades que adoro ver mas nunca tive aquele bichinho para praticar alguma. Há mais ou menos três anos descobri que tenho um problema cardíaco genético que aliado à tensão alta me faziam ter umas crises de pânico, arritmias entre outras coisas. Na mesma altura descobri também que tinha um problema na coluna devido às más posturas. Tudo aliado foi-me aconselhado a prática de exercício, não só para melhorar o ritmo cardíaco como também para aumentar a minha massa muscular. O ano passado tomei a iniciativa de me inscrever no ginásio e começar a fazer máquinas, tanto a parte de cardio como a parte de musculação. Frequentei o mesmo mais ou menos por seis meses e na altura o mesmo deu resultado. Os meus batimentos cardíacos desceram consideravelmente e começava a ganhar cada vez mais força muscular que tanta falta me fazia à coluna. Só que a vida também se mete no caminho e ao fim desses seis meses acabei por ter que sair do ginásio. Estava numa altura em que não podia frequentar o ginásio durante o dia e à noite também não é a hora que mais gosto de fazer exercício. Foi então que me lembrei que a minha melhor amiga andava no Pilates e que estava a adorar. Como as aulas são à noite decidi aproveitar e há dois meses lá me inscrevi e comecei a praticar esta modalidade. 



O Pilates é uma modalidade desportiva criada por Joseph Pilates, um alemão que sofria de raquitismo, asma e febre reumática e que, para não viver dependente de uma cadeira de rodas desenvolveu cerca de 500 exercícios que o ajudaram a levar uma vida longa e sã. O Pilates é assim um conjunto de exercícios controlados, pausados e metódicos, através dos quais se exercitam todos os músculos do corpo. Proporciona elasticidade e flexibilidade, define e tonifica o corpo e ajuda-nos a conhecê-lo melhor. Para além disso, actua também ao nível psíquico, melhorando o auto-conhecimento e diminuindo os níveis de ansiedade. É ideal para fortalecer os músculos das costas e, desta forma, evitar contraturas. (fonte: sapo.pt).

Há dois meses quando entrei na minha primeira aula de pilates ia com a sensação de que a mesma ia ser canja. Visto de fora a mesma parece ser apenas um conjunto de exercícios de alongamentos, mas o que é certo é que sai de lá sem ter conseguido executar nem metade deles e cansada que parecia ter feito uma sessão de máquinas de ginásio. Isto porque quem não pratica exercício físico acaba por ficar com os músculos atrofiados e sem elasticidade nos mesmos e nestas aulas uma das coisas que vamos exercitar mais é exactamente a elasticidade. Não é por acaso que esta modalidade raramente é praticada por homens, uns porque acham que é modalidade de mulheres, outros porque quando experimentam também não conseguem logo fazer os exercícios e acabam por perceber que a mesma não é assim tão fácil como se pensa. 

Para mim leiga nisto do Pilates ela é para mim uma modalidade lenta, em que vamos aprendendo um bocadinho todos os dias, vamos alcançando um novo objectivo todas as aulas. Quando comecei já conhecia alguns exercícios mas mesmo assim não os conseguia executar da melhor maneira e devo dizer-vos que só agora no terceiro mês é que posso dizer que estou a conseguir fazer alguns exercícios. Ao início tudo parece muito difícil, tudo doi, mas as fim de algum tempo nós começamos a ficar muito admirados connosco próprios porque de repente lá estamos nós a conseguir fazer determinado exercício que há umas aulas atrás nos parecia um movimento do diabo. 

Tenho aula de Pilates duas vezes por semana, cada aula com 1 hora de duração e, acho que é tempo necessário por semana para nos exercitarmos e descontrairmos. Alguns dos exercícios que vos apresento neste post são exercícios que costumo fazer nas aulas e confesso que aqueles que mais gosto são definitivamente os exercícios feitos com bola. Estou até a pensar comprar uma porque adoro fazer o exercício que está na primeira imagem, é um exercício super relaxante.

Recomendo muito esta modalidade, tanto para quem quer fortalecer o seu corpo, ou como complemento a uma actividade mais intensa. Recomendo também que façam estes exercícios na presença de um profissional, numa aula por exemplo, porque há exercícios bem complicados e que podem correr mal. Ao fim de dois meses de aulas começo a sentir imensas diferenças, a ponto de quando falto a uma aula sentir logo que o corpo me está a pedir para se exercitar. É com certeza uma actividade que quero continuar a praticar e que recomendo muito. 

E vocês? Praticam alguma actividade física?
Image Map

2 comentários :

  1. Também não morro de amores por desporto mas realmente faz falta. Nunca experimentei pilates mas não sei até que ponto me ia dar bem com a bola haha.

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh eh.. realmente o exercício faz sempre falta..
      Por acaso a parte da bola parece mais difícil do que realmente é.. :D

      Eliminar