BOOK | O Rapaz da Porta ao Lado


Eu já tinha tentado ler este livro, mas o facto de ser em e-mails não me tinha cativado muito. Agora na altura da maratona literária decidi que seria uma leitura leve e rápida. E de facto assim foi.

“O Rapaz da Porta ao Lado” conta a história da Mel, uma jornalista que trabalha no New York Journal na coluna social. Mas este não é o seu trabalho de sonho. Ela gostava de fazer reportagens sobre a cidade, criminosos e investigações e não sobre celebridades.

Uma manhã ela acorda com o cão da vizinha a ladrar muito. Achando isso estranho ela decide invadir a casa da vizinha para tentar perceber se algo de mal se tinha passado. E de facto quando a Mel abre a porta encontra a sua vizinha desmaiada, após levar com uma pancada na cabeça. Após a sua vizinha ir para o hospital, e terem-lhe dito que ela estava em coma, ela decide tomar conta dos animais de estimação da sua vizinha enquanto o seu sobrinho não aparece, ou a sua vizinha não acorde.

A Mel decide entrar em contacto com Max o sobrinho da sua vizinha para que este venha tomar conta dos animais de estimação e que tome todas as providências, pois tudo isto já está a prejudicar o trabalho da Mel. O problema, o Max não quer saber da sua tia, e está mais interessado na sua viagem e na sua companhia de viagem, a sua mais nova conquista. Assim, ele resolve cobrar um favor a Jhon, um amigo, herdeiro de uma das famílias mais ricas de Nova York, que prefere ser jornalista e escritor em part-time. O Max pediu assim ao Jhon para se fazer passar por ele, isto só até a sua tia acordar do coma.


Já estão a ver como a história acaba. O Jhon conhece a Mel, eles apaixonam-se, mas existe o problema de a Mel não saber que o Jhon não é o Max e por aí em diante, e vocês já estão a ver como a história se vai desenrolar.

A Meg Cabot consegue sempre escrever histórias fofinhas e muito divertidas. Consegue nos colocar sempre um sorriso no rosto, e essa é uma das características que eu mais gosto nela.

O livro é todo em forma de e-mails. Ou seja, não existe texto normal. O texto em si vai surgindo conforme os e-mails vão sendo enviados e, por isso uma das coisas que que temos de estar atentos quando lemos este livro são os remetentes e os destinatários dos e-mails, se não, não sabemos a que conversa aquele e-mail corresponde. E se por um lado eu achei esta forma de escrita bastante original, por outro não foi a que mais me agradou. Isto porque, ao ser escrito por e-mails muita informação vai ser deixada de fora e muitos detalhes ou até partes da história são apenas descritas muito por alto.

Apesar deste entrave, que acho que afastará muitas pessoas da leitura deste livro, é um livro que recomendo para quem gosta deste tipo de livros, ou até para aquelas pessoas que simplesmente estão à procura de um livro engraçado e muito fofinho.


Nome: “O Rapaz da Porta ao Lado” Autor: Meg Cabot ISBN: 9722514636   
Páginas: 422 pages Editora: Bertrand Editora



Este livro pertence a uma série que se chama “Boys” – Rapazes, que foi abandonada em Portugal tendo sido só este livro editado. Em princípio vou querer continuar a ler esta série mas em inglês.


6 comentários

  1. O mais próximo que li de livros com e-mails foi o Attachments, da Rainbow Rowell, e mesmo assim é metade por e-mails metade por texto normal e agradou-me bastante :)

    Fiquei curiosa em relação a este da Meg Cabot. Parece-me uma história muito leve e fofinha *-*
    Adoro esta tua ideia de colocar elementos relacionados com os livros na fotos da opinião :D
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Gostei deste livro, em parte por ser contado através de emails, que tornou a leitura mais entusiasmante e diferente. Tirando este livro, ainda só li um nestes moldes "Quando sopra o vento norte" e também gostei muito... :)

    Tenho pena que a Bertrand tenha decidido abandonar a série, até porque já sou da Meg desde o tempo do "Diário da Princesa", mas pronto não podemos fazer nada...

    Beijinhos e boas leituras*

    ResponderEliminar
  3. Fazes bem em continuar porque vale a pena! Adorei a trilogia, se bem que sinceramente lembro-me muito vagamente da história, já li há alguns anos! :) Meg Cabot é muito bom é pena a editora dela cá ser muito má.

    ResponderEliminar
  4. Já estive co ess elivro em mãos, mas não consegui terminá-lo. Para além de ser em e-mails, não tem capítulos nem nada do género e pra mim não funcionou. Ainda bem que gostaste ....
    Boas leituras, Jessie*
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. A redação deste livro por emails não me fez impressão porque estou habituada à escrita da Meg Cabot. Já no Diário da Princesa, apesar de ligeiramente diferente, ela apostava muito nos bilhetes, nas listas, nas mensagens trocadas. Continuo a gostar muito desta autora, e ajuda-me sempre a relaxar.

    ResponderEliminar
  6. A mim após um tempo também não me fez grande confusão.. Acho que foi mais ao início que tinha de estar sempre a ver quem é que escrevia os e-mails.
    Eu também gosto muito da escrita da Meg Cabot é bastante leve..
    Beijinhos*

    ResponderEliminar