Com tecnologia do Blogger.

Cinema | Any Day Now

primeira 11



Já vi este filme no Natal, mas só agora vos trago a minha opinião sobre ele e, não pude achar melhor altura para a trazer aqui ao blog. Como vocês sabem neste momento está em discussão um referendo ou não à questão da adopção e co-adopção por pessoas do mesmo sexo. E é sobre este tema que este filme fala.


segunda


Any Day Now é um filme passado nos anos 70 e conta a história de Paul, Rudy e Marco. Paul é um advogado, que trabalha para o chamado Ministério Público, que após um divórcio se vê confrontado com a sua orientação sexual e, decide ir a um bar gay onde existem shows de Drag Queens. É lá que ele se envolve com o Rudy. Após essa noite Rudy conhece Marco, o filho da sua vizinha e, que sofre de síndrome de Down. E isso até podia ser o maior problema de Marco, mas o maior problema dele é que a mãe é uma completa drograda e coloca-o fora de casa enquanto mantém relações sexuais com os seus companheiros. Quando a mãe de Marco é presa, Rudy leva-o para sua casa e cuida dele. Para além disso ele procura o Paul para tentar ficar com a guarda do Marco. Ao início Paul vai ficar reticente em os ajudar, mas com o passar do tempo e, ao mesmo tempo que se vai afeiçoando ao Marco e se apaixonando pelo Rudy, vão juntos tentar uma luta judicial e social pela adopção de um menino.


terceira



Gostei mesmo muito deste filme. Tocou-me de tantas formas que eu nem sei mesmo o que devo escrever sobre este filme. Primeiro que tudo é um filme bem calmo, tudo ocorre de uma forma simples sem grandes rodeios. Depois todos os assuntos são abordados de uma forma, a nos chocar, mas não de uma forma cliché. Para mim foi um filme bem pensado.


Primeiro que tudo a estrela deste filme é a personagem Rudy interpretada pelo actor Alan Cumming. Personagem cheio de garra, que corre atrás daquilo que quer mesmo, lá no fundo, sabendo que algumas das coisas são impossíveis. E depois ele adiciona ao filme o lado musical muito bom. E depois para mim com uma interpretação espectacular está o Isaac Leyva como Marco.


quarta



Este é um filme muito difícil. Se ainda hoje este tema mexe muito com as pessoas naquela altura era quase tema impossível de se falar. A adopção de crianças por pessoas do mesmo sexo já não devia ser tabu como era naquela época. Como se diz no filme tudo aquilo que os casais do mesmo sexo podem proporcionar às crianças é amor, subsistência, carinho, apoio. Tudo aquilo que os pais ditos normais fazem pelos seus filhos. Tal como no filme, o Marco foi muito mais amado, muito melhor tratado do que quando estava com a sua mãe biológica. E isso é o que muitas pessoas ainda não entendem.


última



O filme não acaba como eu queria. E o final é assim uma chapada de luva branca a muita gente. E por isso eu acho que todos devíamos ver este filme para absorvermos certas lições de vida, que só com um choque são melhor percebidas.


fica técnica








Eu adorei o filme. E vocês?

8 comentários

  1. Já vi o filme há uns meses e não sabes o quanto chorei >.< Acho que toda a gente devia ver! É fantástico.
    Adorei a tua opinião, mais uma vez :D

    ResponderEliminar
  2. Também o vi o mês passado e adorei, mas aquele final ficou-me "entalado" x) **

    ResponderEliminar
  3. Nunca ouvi falar deste filme, mas agora até fiquei com uma certa curiosidade. Agora que estou de férias tenho de aproveitar e tentar vê-lo.

    ResponderEliminar
  4. Humm com uma classificação assim tenho de o ver, já o conhecia mas nunca tinha visto nem trailer nem lido nada sobre ele, mas é bom saber que é um filme aconselhado :)

    ResponderEliminar
  5. Pois acredito!!
    Mesmo.. acho que muito boa gente devia ver este filme..
    Obrigado..
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. Sim.. aquele final é qualquer coisa..
    Beijinhos*

    ResponderEliminar