BOOK | Sozinhos na Ilha


Anna uma mulher de 30 anos cansada de uma relação estagnada decide aceitar um emprego de verão onde teria que ajudar um rapaz a se reintegrar nos estudos, após o tempo em que este esteve doente. T.J. de 16 anos acaba de superar um cancro e tudo o que quer é passar o tempo perdido com os amigos a fazer tudo aquilo que não pode. Por diversas razões Anna e T.J. acabam por ter de ir no mesmo avião sem os pais dele. Quando chegam ao local onde teriam de apanhar outro avião para a tal ilha não existe um avião disponível tendo eles que esperar pela manhã seguinte, mas subitamente um milagre parece acontecer e um piloto disponibiliza-se a levá-los. Só que durante a viagem este tem um ataque cardíaco e o avião despenha-se. O que começara por parecer um milagre acaba por se tornar um pesadelo e Anna e T.J. acabam numa ilha deserta sozinhos e sem nada a que se agarrar. Nas primeiras semanas ainda permanece o sentimento de que alguém aparecerá. E de facto um avião sobrevoa a ilha, mas sem ver ninguém depressa desaparece, ficando ambos à sua sorte.


Confesso que quando me deparei com este livro fiquei com a pulga atrás da orelha. A história remetia-me muito para o filme A lagoa azul e, portanto, eu queria muito saber como a autora tinha escrito a história. E devo dizer que a história me surpreendeu muito. Não pela história em sim, muito previsível para mim em termos de enredo, mas muito imprevisível em termos de carga emocional que me fez apaixonar por este livro. Este é um livro de escrita fácil e de leitura ainda melhor, é um livro que nos prende do início ao fim.

Como seria se de um dia para o outro nos víssemos presos numa ilha deserta sem os mínimos cuidados básicos, sem alimentação, sem higiene, sem ninguém para conversarmos, sem nada basicamente. Foi a isso que Anna e T.J. se agarraram, a nada e a eles mesmos. Ao início ambos sobrevivem basicamente com aquilo que iam encontrando, mas passado algum tempo algumas das suas coisas que vinham no avião, acabam por dar à costa o que lhes facilitou muito a vida. Com toda a convivência e sem nada a que se agarrar sem ser a eles mesmos,  Anna e T.J. acabam por formar uma relação maior que a amizade, e acabam por se envolver. Juntos vão passar por muitas coisas, tempestades, doenças, animais em fúria, tubarões. Mas também viverão um amor inesquecível, um amor para a toda a vida.


Devo dizer que o que mais me agarrou à história foram mesmo as personagens. Anna muito pragmática, muito inteligente, sentimental, sempre a querer o melhor para os outros, mas também muito apaixonada. Já T.J. ao início tinha os comportamentos de um “puto” e que me arrancou muitas gargalhadas ao longo do livro. Mas com o passar do tempo é um rapaz que amadurece muito, tornando-se um homem trabalhador e com muito amor pela Anna. Uma das coisas que também mais gostei foi o facto de o livro ser narrado alternadamente entre a Anna e o T.J., o que permitiu sempre ir sabendo o que cada um pensava e sentia perante cada situação. Por fim gostei também que a autora não tivesse precipitado diversas coisas, como o romance entre eles, que só acontece muito tempo depois de eles lá estarem, ou o facto de as malas deles virem parar à costa, que é uma das situações que me surpreendeu, por não estar à espera que isso fosse acontecer, pois quando eu penso numa ilha deserta não penso que a nossa bagagem dê à costa.

A segunda parte do livro ocorre quando ambos são resgatados e voltam para a cidade e para as suas famílias. Como regressar à civilização quando passaram anos na ilha e todos os julgavam mortos? Como encarar a sociedade, cheia de preconceitos, quando se tem uma relação com uma diferença de idades de 13 anos? Muitas dúvidas vão assombrar este casal, que se deixará afectar por muitas delas, mas que continuam muito apaixonados um pelo outro. Apesar de já desconfiar do final, devo dizer que não deixei de ficar feliz pelo mesmo ter sido daquela forma.

Foi um livro que eu gostei muito. Que me agarrou de uma forma que eu não estava à espera. Mas que por ser uma história previsível para mim levou apenas 4 estrelas. Contudo é um livro que eu recomendo a toda a gente. Este livro conta com uma panóplia de temas, como o romance, aventura, a parte mais erótica, a procura pelos valores mais básicos, a sociedade fechada em rótulos, a superação, a vida. É um livro que eu recomendo.

7 comentários

  1. Eu acabei de o ler ontem e não podia ter gostado mais :P
    O facto de os capítulos serem alternados agradou-me imenso e, como disseste, a carga emocional presente surpreendeu-me muito.

    Adorei as descrições das tarefas que eles faziam na ilha, dos problemas pelos quais tiveram de passar e dos personagens em si, que eu adorei!

    Eu dei 5 estrelas, mesmo sendo um livro um pouco previsível, realmente x)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Tenho, mas ainda está na minha parte da estante de livros por ler.
    O Jumbo tem agora lá vários livros desde 1€ até 5€, porque não espreitas lá? :)

    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  3. Eu não sabia que era tão grande a diferença de idades. Deixou-me mais curiosa:D
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Mesmo o livro apesar da previsibilidade é excelente..
    Eu também adorei como a autora conseguiu descrever tudo sem ser de uma forma muito exaustiva..
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. Tens de ler.. :D
    Tenho que ir lá ver.. Obrigado pela dica.. :D
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. Sim é.. O que eu mais gostei é que apesar da idade e de toda a situação as situações não foram forçadas e apressadas, não se tornando cliché..
    Beijinhos*

    ResponderEliminar